- A informação que gera opinião!

Comissão de Cultura debate ataques a casas de matriz africana

Ataques ocorreram durante perseguição policial ao foragido Lázaro Barbosa de Sousa em municípios de Goiás.

Por Redação

28 de junho de 2021

às 09:40

Compartilhe

 A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados promove debate nesta segunda-feira (28) sobre recentes ataques e ações violentas contra casas de matriz africana.

 O pedido para realização do debate é das deputadas do PT Erika Kokay (DF) e Benedita da Silva (RJ). As parlamentares consideraram de “cunho racista” ações policiais perpetradas recentemente contra casas de matrizes africanas na região de Águas Lindas, Girassol, Cocalzinho e Edilândia, localizadas no estado de Goiás.

 As deputadas acusam as autoridades de segurança de tentarem vincular as condutas criminosas do foragido Lázaro Barbosa de Sousa aos membros desses centros religiosos. “Isso é fruto do racismo estrutural que não corresponde à religiosidade exercida nesses centros”, denunciam as deputadas no requerimento em que pedem a audiência.

 Elas também repudiaram afirmações das forças de segurança de que esses locais estariam servindo de abrigo ao infrator. “É extremamente grave que a polícia, durante o arrombamento das portas de umas das casas, tenha feito a vinculação desses espaços a supostos ‘rituais satânicos’ que inexistem nas casas de matriz africana, o que apenas constata o total despreparo dos agentes envolvidos, além do racismo estrutural”, lamentam as deputadas no documento.

 Foram convidados para o debate o secretário de Segurança Pública do Estado de Goiás, Rodney Rocha Miranda; especialistas e representantes de culturas de matriz africana.

 Fonte: Agência Câmara de Notícias

Últimas notícias

Foi um ‘tiro no pé’. Ao barrar os vereadores, líderes da ADAS colhem tempestade de críticas não apenas por desabonar autoridades públicas, mas também devido à suposta fome de lucros e por descaracterizar a verdadeira essência de um dos eventos mais tradicionais de Salete (SC).
Eder ‘pediu a cabeça’ de Rozi em sessão da Câmara de Vereadores de Taió (SC). Pivô da discórdia é médico credenciado que já faturou quase R$ 1,4 milhão no município. Veja!
As trocas durante a janela partidária deverão alterar a composição das bancadas na Câmara dos Deputados.