- A informação que gera opinião!

Deputados denunciam paralisação na Cultura e recusa de dinheiro para BRs

As denúncias ocorreram na sessão desta terça-feira (27).

Por Redação

28 de julho de 2021

às 13:00

Compartilhe

 Parlamentares denunciaram a paralisação dos editais da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e a recusa da União em gastar dinheiro do Tesouro Estadual nas obras das rodovias federais em Santa Catarina durante a sessão de terça-feira (27) da Assembleia Legislativa.

 “O edital Elisabete Anderle seria lançado até metade de junho, estamos no final de julho e nada. O edital do Prêmio Catarinense de Cinema quando será lançado? Podemos investir a sobra dos recursos recebidos ano passado, cerca de R$ 30 mi, que estão na conta da FCC”, afirmou Luciane Carminatti (PT).

 A parlamentar também questionou a paralisação da Lei do Mecenato e perguntou pelos R$ 2,4 mi que sobraram do Edital Emergencial do SC Cultura.

 “A FCC vai se apropriar deste recurso predestinado?”

 A deputada Paulinha (sem partido) apoiou as cobranças da colega e ofereceu ajuda aos gestores da FCC para destravar a liberação dos editais.

 “Precisamos de respostas ao setor, os editais precisam chegar às ruas o mais rápido possível, a cultura foi um dos setores que mais sentiu os reflexos da pandemia”, lembrou a presidente da Frente Parlamentar de Apoio à Cultura.

 Já o deputado Maurício Eskudlark (PL) denunciou que, questionado sobre o assunto, o governador Carlos Moisés respondeu que o governo federal se recusa a utilizar os recursos do Tesouro Estadual nas obras das rodovias federais que cortam o estado.

 “Aprovamos R$ 100 mi para o governo federal aplicar na BR-163 e até agora não aceitou, não recebeu. Perguntei ao governador, ele disse que já fez várias conversas com o ministro Tarcísio, mas o ministro não mostra disposição de pegar os recursos e aplicar nas rodovias. É lamentável que por questões políticas deixem de fazer o bem à população”, avaliou Eskudlark.

 Padre Pedro Baldissera (PT) também criticou a demora da União em gastar o dinheiro que os catarinenses decidiram aportar nas obras federais.

 “São R$ 100 mi (para a BR-163) e por enquanto não estamos vendo uma decisão do governo federal de colocar esse dinheiro ao alcance da população que percorre a rodovia”, criticou o parlamentar.

 Fonte: ALESC

Últimas notícias

Foi um ‘tiro no pé’. Ao barrar os vereadores, líderes da ADAS colhem tempestade de críticas não apenas por desabonar autoridades públicas, mas também devido à suposta fome de lucros e por descaracterizar a verdadeira essência de um dos eventos mais tradicionais de Salete (SC).
Eder ‘pediu a cabeça’ de Rozi em sessão da Câmara de Vereadores de Taió (SC). Pivô da discórdia é médico credenciado que já faturou quase R$ 1,4 milhão no município. Veja!
As trocas durante a janela partidária deverão alterar a composição das bancadas na Câmara dos Deputados.