- A informação que gera opinião!

Girão espera que Senado derrube quarentena eleitoral a juízes, militares e policiais

Senador Eduardo Girão (Podemos-CE) criticou a decisão "equivocada" da Câmara dos Deputados.

Por Redação

23 de setembro de 2021

às 10:20

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 Em pronunciamento, nesta quarta-feira (22), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) pediu que o Senado derrube a proposta aprovada pela Câmara dos Deputados que impõe uma quarentena a magistrados, policiais e militares para que possam se candidatar a cargos eletivos. Para ele, trata-se de uma decisão “muito equivocada”.

 — Eu não sei exatamente qual o objetivo disso, suscita-me algo como uma vingança contra a Operação Lava Jato, uma espécie de perpetuação no poder da classe política atual. Eu não vejo isso como democrático, afirmou.

 Para o parlamentar, é uma “decisão inconstitucional”, por retirar, mesmo que temporariamente, direitos políticos de milhões de cidadãos e cidadãs brasileiros. Além disso, eliminar candidaturas legítimas “é típico das ditaduras”.

 Girão criticou o argumento de que tais categorias profissionais poderiam se aproveitar de algum prestígio social obtido no exercício da função. “Sob essa lógica, então professores e médicos também teriam que passar pela quarentena, o que não é justo.”

 O senador considera que, para haver o mínimo de coerência, esses parlamentares deveriam primeiro votar o fim de suas próprias reeleições, dando condições iguais a todas as candidaturas.

 Fonte: Agência Senado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

Críticos consideram mecanismo autoritário, atentado à vacinação não obrigatória e risco à disseminação do vírus, além de criar ‘cidadãos de segunda classe’. No entanto, maioria dos prefeitos ouvidos na região defende ideia, apesar de ainda não haver planos para decretar medida. Outra parte dos gestores alerta que ação fere direitos, além de ameaçar liberdades. E, ao passaporte sanitário, eles dizem: “não”.
As críticas foram expostas na sessão de quarta-feira (13) da Assembleia Legislativa.
Caroline de Toni comandará os trabalhos do colegiado.