- A informação que gera opinião!

Girão pede que Senado analise pedido de impeachment de Alexandre de Moraes

Girão disse que o pedido foi assinado por mais de 3 milhões de cidadãos brasileiros.

Por Redação

1 de setembro de 2021

às 13:00

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 Em pronunciamento em Plenário nesta terça-feira (31), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) afirmou que o Senado tem que analisar pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, entregue por ele e outros senadores, pessoalmente, ao presidente da Casa, senador Rodrigo Pacheco. Girão disse que o pedido foi assinado por mais de 3 milhões de cidadãos brasileiros, em um movimento organizado pelo comunicador Caio Coppolla. O parlamentar cearense afirmou que, para o bem do Brasil, o Senado precisa cumprir o seu papel.

 — Só o Senado tem essa prerrogativa constitucional, não pode dela se eximir, indefinidamente — ressaltou.

 Girão destacou que muitos brasileiros irão às ruas em 7 de setembro, dia da Independência do Brasil, não para apoiar ou protestar contra o atual governo, mas para defender o direito à liberdade de expressão, que, na sua opinião, se encontra ameaçado no Brasil. Acrescentou que há uma “verdadeira caçada ideológica” contra jornalistas, sites, blogs e produtoras que cometem o grave crime, entre aspas, de difundirem ideias conservadoras ou de criticarem comportamentos abusivos de autoridades.

 Para Girão, é evidente que há excessos que devem ser devidamente apurados e punidos, mas “o comportamento abusivo de alguns ministros dos tribunais superiores tem contribuído, sim, para o agravamento dessa crise institucional que vivemos”, destacou. O parlamentar disse ver muitas interferências estranhas, rompendo a independência e a harmonia entre os Poderes.

 Fonte: Agência Senado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

Deputados e representantes dos servidores plantaram as mudas em frente ao Palácio Barriga Verde.
Mudança está contida em medida provisória editada pelo governo em agosto.
A programação foi uma iniciativa do deputado Dr. Vicente Caropreso (PSDB).