- A informação que gera opinião!

Governo do Estado institui política de desenvolvimento para servidores públicos

O objetivo é buscar o aperfeiçoamento profissional dos servidores.

Por Redação

9 de agosto de 2021

às 12:40

Compartilhe

 Com o objetivo de buscar o aperfeiçoamento profissional dos servidores, na procura pela excelência na execução das tarefas e dentro da tipicidade das funções ou serviços prestados, o Governo do Estado instituiu, pelo decreto 1.386, de 27 de julho último, a Política Estadual de Desenvolvimento dos Servidores (PEDs). Pelo documento, a Diretoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (DGDP), da Secretaria de Estado da Administração (SEA), é responsável pela formatação das políticas e diretrizes para o processo de planejamento, acompanhamento e avaliação das ações de desenvolvimento dos servidores, que devem ser executadas pelos órgãos e entidades da Administração Pública Estadual Direta, Autárquica e Fundacional.

 “Adotamos desde o início um modelo de gestão que se baseia na eficiência, trabalhando com indicadores, metas, planos de ação e monitoramento constante. A oferta do conhecimento vem complementar esse projeto de valorização do servidor e é fundamental para que ele busque sua plenitude profissional e operacional”, disse o governador Carlos Moisés.

 “Nosso objetivo, com a nova normativa, é tanto dar autonomia para que os órgãos definam as ações de capacitação de acordo com suas necessidades, como promover a formação e o aperfeiçoamento profissional em conjunto com a Fundação Escola de Governo ENA, responsável pela oferta de cursos ao quadro de servidores estaduais”, explicou a diretora de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas, Renata Fett Largura. “Este Decreto, que surge também como uma determinação do próprio governador, é uma conquista para todos os servidores públicos, que poderão melhorar ainda mais suas competências laborais por meio do conhecimento”, disse o secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca.

 A Política Estadual de Desenvolvimento dos Servidores deverá abranger programas de: Educação Formal – abrangendo cursos de pós-graduação lato e strictu sensu, oferecidos por instituições de ensino reconhecidas ou parceiras da Fundação ENA; e Educação Continuada – para o desenvolvimento de competências comportamentais e técnicas, que objetivam potencializar a capacidade operacional tecnológica e a consolidação dos conhecimentos temáticos específicos necessários ao pleno exercício das atribuições do cargo e das funções do servidor e o alcance de metas e resultados organizacionais. Neste quesito, os cursos serão oferecidos preferencialmente pela Fundação ENA.

 Atualmente, a Fundação ENA oferece cerca de 14 cursos de forma totalmente on-line. Outros 30 cursos são oferecidos na modalidade presencial, ou transmissão ao vivo. “Nosso interesse é ampliar essa oferta e atuar focado no desenvolvimento de cursos cujas matrizes curriculares estejam em acordo com as áreas técnicas de cada instituição ou órgão público”, disse o presidente da Fundação, Aloisio José Rodrigues.

 Fonte: Secom/SC

Últimas notícias

Foi um ‘tiro no pé’. Ao barrar os vereadores, líderes da ADAS colhem tempestade de críticas não apenas por desabonar autoridades públicas, mas também devido à suposta fome de lucros e por descaracterizar a verdadeira essência de um dos eventos mais tradicionais de Salete (SC).
Eder ‘pediu a cabeça’ de Rozi em sessão da Câmara de Vereadores de Taió (SC). Pivô da discórdia é médico credenciado que já faturou quase R$ 1,4 milhão no município. Veja!
As trocas durante a janela partidária deverão alterar a composição das bancadas na Câmara dos Deputados.