- A informação que gera opinião!

Senado tem semana de esforço concentrado para votar autoridades

Indicação de autoridade exige voto secreto e presencial. Em razão da pandemia, o Senado instalou cabines fora do Plenário e também totens que podem ser acessados pelos senadores de carro pela garagem.

Por Redação

5 de julho de 2021

às 11:00

Compartilhe

 Começa nesta segunda-feira (5) o esforço concentrado do Senado para votar autoridades indicadas pelo governo. As comissões vão se reunir de forma semipresencial, com alguns senadores nas salas do Senado e outros de forma remota. Haverá uma série de medidas de distanciamento e de segurança para evitar o contágio e a propagação do coronavírus.

 A convocação para uma semana de esforço concentrado foi feita na quinta-feira (1°) pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), pouco antes do encerramento da sessão deliberativa remota. A votação de autoridades exige a presença dos senadores e a votação secreta. Pacheco disse que haverá um escalonamento do funcionamento das comissões e do Plenário, buscando esgotar a pauta. Ele ainda sinalizou que, se não for possível votar tudo o que está previsto, haverá outra semana de esforço concentrado depois do recesso.

 — Vamos buscar garantir toda a segurança sanitária para senadores, assessores e autoridades, diminuindo ao máximo o número de pessoas no Senado. Ainda estamos em um ponto difícil da pandemia e é preciso manter a precaução — destacou o presidente.

 Deve entrar na pauta da semana de esforço concentrado a votação dos indicados para cargos em agências reguladoras, no Conselho Nacional do Ministério Público, no Conselho Nacional de Justiça, em embaixadas e de ministro de tribunal superior. A ideia é que os nomes aprovados nas comissões já sejam levados para votação no Plenário na quarta (7) e na quinta (8).

 Para permitir a sabatina do indicado e o voto secreto, reduzindo os riscos de contágio pela covid-19, o Senado instituiu as reuniões semipresenciais, que poderão ser acompanhadas remotamente ou presencialmente, com restrições de acesso e ocupação das salas de reuniões. Para a votação secreta, a administração da Casa colocará terminais de votação (totens) fora do Plenário.

 Fonte: Agência Senado

Últimas notícias

Foi um ‘tiro no pé’. Ao barrar os vereadores, líderes da ADAS colhem tempestade de críticas não apenas por desabonar autoridades públicas, mas também devido à suposta fome de lucros e por descaracterizar a verdadeira essência de um dos eventos mais tradicionais de Salete (SC).
Eder ‘pediu a cabeça’ de Rozi em sessão da Câmara de Vereadores de Taió (SC). Pivô da discórdia é médico credenciado que já faturou quase R$ 1,4 milhão no município. Veja!
As trocas durante a janela partidária deverão alterar a composição das bancadas na Câmara dos Deputados.