- A informação que gera opinião!

VÍDEO: Em novo escândalo, vereador revela fraude em horas extras na prefeitura de Taió

Ao responsabilizar secretária Rozi Terezinha de Souza pela irregularidade envolvendo servidor que não bateu ponto no intervalo do almoço durante um ano, Eder Ceola foi enfático: “Ela tem que devolver esses R$ 7 mil [que o médico faturou a mais por mês] para o povo.” E acrescenta: “O que mais me deixa triste, é que dava pra tirar todas as filas da ressonância” com o dinheiro das horas extras pagas ao especialista de forma indevida.

Por Redação

21 de junho de 2022

às 16:43

Compartilhe

 Não batendo o ponto eletrônico no intervalo do almoço durante um ano e sem ser repreendido pela irregularidade, um médico concursado que atua em um posto de saúde da prefeitura de Taió (SC) é apontado por fraudar o registro do horário da sua verdadeira jornada de trabalho. Com a manobra, ele teria embolsado em torno de R$ 7 mil reais a mais por mês de dinheiro público; até o esquema ser descoberto.

 A denúncia foi apresentada pelo vereador Eder Ceola (Podemos) na tribuna da Câmara Municipal durante a sessão ordinária realizada na última terça-feira (14).

 A base que sustenta o relato do novo escândalo na saúde do município são cópias de documentos extraídos do Portal da Transparência.

 Registrando a entrada às 8 horas da manhã e a saída somente às 5 da tarde no relógio da Secretaria de Saúde, o plantonista gerava, mensalmente, 32 horas extras fixas, segundo Ceola. Em tese, seria como se o médico não parasse para almoçar.

 O preço da irregularidade recai – perigosamente – sobre pacientes, expõe o vereador: “Gente, dava pra fazer 300 ressonâncias! Quantos tem na fila hoje? Duzentas ressonâncias!”, respondeu ele mesmo referindo-se ao que daria para realizar – com ampla folga – se a soma dos valores pagos indevidamente por 12 meses tivesse sido aplicada na demanda urgente.

 Nem o nome do plantonista, nem a unidade de saúde à qual ele está ligado foram divulgados ao microfone no legislativo.

 Ao fazer a denúncia, o parlamentar municipal voltou a subir o tom contra a secretária de Saúde, Rozi Terezinha de Souza: “Ela não vê que o médico não bate ponto ao meio dia. Ela brinca com o dinheiro público!”, disparou.

Documentos levados ao legislativo mostram jornada de trabalho de médico sem intervalo e horas extras pagas. (Fotos: Captura de Tela/Divulgação)

 Responsabilidade

 Ao revelar a irregularidade, o vereador apontou Rozi de Souza como responsável direta pela fraude: “E sabe o que é o pior? Quem assina a folha do médico é a secretária de Saúde. Engraçado, contrata um funcionário, tu vai pagar no final do mês e não vê que ele não tá batendo ponto ao meio dia”, ironizou.

 Com os documentos usados para comprovar sua denúncia na tribuna, Ceola também refutou a crítica de “perseguição pessoal” à secretária; e intimou: “Ela devolva esses R$ 7 mil por mês que o médico fez!”

 Após dizer que já pediu “dez vezes” que o prefeito Horst Alexandre Purnhagen (MDB) demita Rozi de Souza, o vereador foi contundente: “Politicamente, pra mim, é melhor que ela fique lá, porque ela é muito ruim. Eu cresço demais com ela lá, mas a gente tem que parar de pensar politicamente e pensar nesse povo que tá na fila… A gente não dá conta, vocês sabem que não damos conta dos pedidos de ressonância. E já podia ter zerado a fila”, reafirmou.

 Ceola contou que logo depois da sua fiscalização resultar no recebimento dos documentos pedidos ao setor de Recursos Humanos (RH) da prefeitura, “ele [o médico] começou a bater as horas certas, agora. Ele bate ao meio dia”, informou.

 A mudança, de acordo com o vereador, “comprova totalmente que ele estava errado”, finalizou Eder Ceola.

Na Câmara Municipal, Ceola responsabiliza Rozi pela irregularidade envolvendo médico concursado. (Captura de Tela: Câmara de Vereadores/Taió)

Veja o VÍDEO da denúncia

 Espaço aberto

 Como já informamos, a assessoria de imprensa da prefeitura de Taió divulga informações de seu interesse apenas em veículos de comunicação contratados e pagos.

 Este não é o caso do portal Alto Vale Agora, que faz jornalismo independente.

 Ainda assim, como sempre, em respeito à ética, nosso espaço fica à disposição para eventual esclarecimento por parte secretária de Saúde de Taió, Rozi Terezinha de Souza, do médico concursado e do prefeito Horst Alexandre Purnhagen.

Rozi e Alexandre com espaço aberto. (Fotomontagem: Alto Vale Agora)

 Fotomontagem de Capa: Alto Vale Agora

Escândalo de “venda de receitas médicas” é denunciado ao MP após briga entre Vereador e Secretária em Taió

Últimas notícias

Gestor público taioense terá que se empenhar bem mais para garantir a liberação de outros R$ 6 milhões necessários à construção do anexo do Hospital e Maternidade Dona Lisette e cumprir promessa de instalação de uma UTI no quinto andar do futuro bloco.
Para vergonha da sua gestão, Horst Alexandre Purnhagen (MDB) mantém o fracasso que vem do mandato anterior. O político ainda não conseguiu concluir uma simples ponte estaiada bem no coração da cidade. E o pior: um aditivo, recém-assinado, fez o custo do serviço aumentar R$ 470 mil.
Membros das câmaras legislativas dos 28 municípios da região estão no ‘cabresto’ dos gestores públicos?