- A informação que gera opinião!

CCJ aprova atendimento policial especializado ininterrupto a vítimas de violência doméstica

Proposta define que Delegacias de Atendimento à Mulher funcionem 24 horas por dia e sete dias por semana.

Por Redação

11 de agosto de 2021

às 14:00

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 42/15, que busca garantir atendimento policial especializado ininterrupto às mulheres vítimas de violência doméstica.

 A relatora, deputada Margarete Coelho (PP-PI), apresentou parecer pela constitucionalidade do texto. O projeto tramitou em caráter conclusivo e, portanto, poderá seguir para a análise do Senado, a não ser que haja recurso para a votação pelo Plenário.

 A proposta inclui artigo na Lei Maria da Penha para estabelecer que é direito fundamental da mulher o atendimento policial especializado previsto na lei, ininterruptamente, em todos os dias da semana.

 A Lei Maria da Penha prevê, entre as diretrizes para o combate à violência doméstica, a implementação de atendimento policial especializado para as mulheres, em particular nas Delegacias de Atendimento à Mulher.

 Durante a discussão da proposta, a deputada Erika Kokay (PT-DF) lembrou que a Lei Maria da Penha completou 15 anos neste mês de agosto. Segundo ela, uma legislação modelo, num país que ainda tem muito a avançar. “O Brasil vai guardando os seus paradoxos. Detém a terceira melhor legislação de combate à violência doméstica de todo o mundo e é o quinto país em feminicídio”, disse.

 Fonte: Agência Câmara de Notícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

O relator, senador Jorginho Mello, reforça o entendimento, em seu relatório, de que que a legislação brasileira é omissa em relação à proibição de apostas de brasileiros em sítios eletrônicos no exterior.
Deputados Bruno Souza e Jessé Lopes foram os proponentes da Audiência Pública.
Projeto que institui Dia Catarinense da Abelha também foi sancionado e transformado em lei.