- A informação que gera opinião!

CCJ aprova projeto que permite usar aviação agrícola no combate a incêndio florestal

Aeronaves deverão atender às normas técnicas definidas pelo poder público e ser pilotadas por profissionais qualificados.

Por Redação

9 de setembro de 2021

às 10:20

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou proposta do Senado que permite o uso da aviação agrícola no combate a incêndios florestais.

 Pelo texto, os planos de contingência para combate a incêndios florestais, elaborados pelos órgãos ambientais, deverão ter diretrizes para o uso da frota aeroagrícola. Para serem utilizadas, as aeronaves deverão atender às normas técnicas definidas pelo poder público e ser pilotadas por profissionais qualificados para a atividade.

 Além disso, a política de emprego da aviação agrícola na atividade de combate a incêndio em todos os tipos de vegetação seria proposta pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A atividade poderá ser incentivada pelo Poder Público e constará de políticas, programas e planos governamentais de prevenção e combate aos incêndios florestais, passando inclusive pela formação e treinamento de pilotos.

 O projeto (PL 4629/20) é do senador Carlos Fávaro (PSD-MT). Na CCJ, a proposta foi relatada pelo deputado José Medeiros (Pode-MT).

 “O projeto é de uma necessidade muito grande para o País. Eu destaco o estado de Mato Grosso. Ano passado, a associação dos aviadores, que tem esses aviões agrícolas, se dispôs a fazer esse trabalho, mas houve uma série de empecilhos burocráticos. No Brasil, infelizmente, temos tanto obstáculo quando a coisa é para ajudar, que não dá nem para entender”, declarou o relator.

 A proposição altera o Código Florestal (Lei 12.651/12) e o Decreto-Lei 917/69, que trata do emprego da aviação agrícola no País.

 Fonte: Agência Câmara de Notícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

O relator, senador Jorginho Mello, reforça o entendimento, em seu relatório, de que que a legislação brasileira é omissa em relação à proibição de apostas de brasileiros em sítios eletrônicos no exterior.
Deputados Bruno Souza e Jessé Lopes foram os proponentes da Audiência Pública.
Projeto que institui Dia Catarinense da Abelha também foi sancionado e transformado em lei.