- A informação que gera opinião!

Clube de futebol poderá virar empresa sob fiscalização da CVM

O projeto é de autoria do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Por Redação

19 de julho de 2021

às 14:00

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (14), sem alterações, o projeto que prevê incentivos para que os clubes de futebol se transformem em empresas (PL 5.516/2019). De autoria do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), o projeto foi enviado para a Presidência da República e deve ser sancionado nos próximos dias. O PL já havia sido aprovado pelos senadores em 10 de junho, com relatório do senador Carlos Portinho (PL-RJ).

 Em seu podcast, Rodrigo Pacheco, que preside o Senado, comemorou a aprovação.

 — O projeto do clube-empresa, que cria a Sociedade Anônima do Futebol e estabelece muitas inovações para o profissionalismo do futebol brasileiro, é uma grande conquista dos brasileiros. Futebol é um ativo nosso que precisa ser valorizado, melhor trabalhado, que exige profissionalismo, governança corporativa, para realmente valorizar esse ativo nacional que temos. Para além da paixão, é algo que pode gerar muito emprego e riquezas para o país. De modo que esse projeto, que eu tive a alegria de ser o autor no Senado Federal, aprovado na Câmara dos Deputados, é realmente um marco muito importante para o futebol brasileiro — afirmou.

 O projeto cria o Sistema do Futebol Brasileiro, mediante tipificação da Sociedade Anônima do Futebol (SAF). Também estabelece normas de governança, controle e transparência; institui meios de financiamento da atividade futebolística; e prevê um sistema tributário específico. De acordo com o texto, o modelo da SAF submeterá os clubes à regulação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), abrindo a possibilidade de se levantar recursos por meio de emissão de debêntures e ações. Contrapartidas sociais e critérios de responsabilização também estão previstos na matéria.

 Segundo Rodrigo Pacheco, a SAF deverá melhorar a gestão dos clubes, aumentar as receitas e permitir que talentos continuem no Brasil. Na visão de Pacheco, o futebol, além de ser “uma paixão nacional”, é importante para a questão econômica e para a geração de empregos e riquezas. Ele acredita que o projeto é importante para uma maior profissionalização dos atletas e para a segurança dos investidores.

 Fonte: Agência Senado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

O programa Sinal Vermelho prevê que a letra X escrita na mão da mulher, preferencialmente na cor vermelha, funcione como um sinal de denúncia de situação de violência em curso
Texto do acordo está em análise na Câmara dos Deputados.
A norma foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (29).