- A informação que gera opinião!

Comissão aprova audiências para discutir novo ensino médio e situação do USJ

Comissão de Educação da Alesc se reuniu na tarde desta quarta-feira (1º).

Por Redação

2 de setembro de 2021

às 12:20

Compartilhe

 A Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa aprovou, em reunião na tarde desta quarta-feira (1º), a realização de duas audiências públicas, solicitadas pela presidente do colegiado, deputada Luciane Carminatti (PT). As datas dos eventos ainda serão definidas.

 Uma das audiências tratará da situação do Centro Universitário Municipal de São José (USJ), mantida pela Prefeitura de São José, na Grande Florianópolis, que anunciou, no mês passado, o encerramento das atividades da instituição. O objetivo do encontro será ouvir a comunidade escolar, que tem protestado contra o fechamento do centro universitário.

 A outra audiência trata da implantação do novo ensino médio nas escolas estaduais de Santa Catarina, que deve ser concluída até o ano que vem. Conforme Luciane, o assunto tem provocado inquietação na comunidade escolar. “A carga horária passará de 2,4 mil horas para 3 mil horas nos três anos. É uma grande mudança”, comentou.

 Projetos aprovados

 Por maioria de votos, foi aprovado o parecer favorável ao Projeto de Lei (PL) 86/2019, assinado pelas deputadas da Bancada Feminina da Alesc. A proposta inclui como conteúdo transversal, no currículo das escolas públicas e privadas do estado, a “História das Mulheres do Campo e da Cidade de Santa Catarina”. Conforme Luciane, o objetivo é dar visibilidade à trajetória de mulheres catarinenses, que muitas vezes são desconhecidas no ambiente escolar.

 A deputada Ana Campagnolo (PSL) apresentou voto divergente. Ela sugeriu a substituição do termo “Mulheres” por “Pessoas”. Para ela, há personalidades masculinas catarinenses, como Victor Meirelles, José Boiteux, Cruz e Sousa e Jerônimo Coelho, que também são desconhecidos dos estudantes.

 O PL 86/2019 segue para votação em plenário.

O PL 218/2021, do deputado Fabiano da Luz (PT), também teve o parecer favorável, do relator Valdir Cobalchini (MDB), aprovado. A proposta veda a exigência de atestado médico das pessoas que adotam o vegetarismo ou veganismo dos alunos da rede pública de educação básica. A matéria passará pela avaliação de mais duas comissões: de Saúde e de Agricultura e Política Rural.

 Fonte: ALESC

Últimas notícias

A medida valerá após o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.
A decisão foi tomada junto com os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados.
O deputado Jair Miotto é o presidente da Comissão de Ecnomia.