- A informação que gera opinião!

Comissão de Orçamento aprova R$ 16 milhões para pesquisas de ponta

Outros R$ 764 mil serão direcionados ao Ministério da Justiça, para indenizações e projeto de cooperação internacional.

Por Redação

29 de setembro de 2021

às 09:20

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

 A Comissão Mista de Orçamento aprovou o PLN 18/21, do Poder Executivo, que abre crédito especial de R$ 16 milhões para financiar pesquisas de ponta do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). Outros R$ 764.966 serão destinados ao Ministério da Justiça.

 A relatora, deputada Dra. Soraya Manato (PSL-ES), recomendou a aprovação do texto. A proposta ainda deve ser analisada pelo Plenário do Congresso Nacional (sessão conjunta da Câmara dos Deputados e do Senado Federal).

 Dos recursos para o FNDCT, R$ 10 milhões vão para manutenção de contratos com organizações sociais, como o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE); o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (Cnpem); a Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii); o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamiraua (IDSM); a Associação Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa); e a Associação Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

 O restante será repartido entre projetos específicos:

 – R$ 2 milhões vão para construção da Fonte de Luz Síncrotron de 4ª geração (Sirius), em Campinas (SP). Considerado a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no País, esse equipamento de grande porte usa aceleradores de partículas para produzir um tipo especial de luz. A máquina funciona como um grande microscópio, utilizado para investigar a composição e a estrutura da matéria em suas mais variadas formas – molecular, atômica e eletrônica –, com aplicações em praticamente todas as áreas do conhecimento;

 – R$ 2 milhões seguirão para a expansão das instalações do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano), em Campinas, que conduz pesquisas estratégicas para desenvolvimento de energias alternativas, saúde e meio ambiente; e

 – R$ 2 milhões serão usados na implantação do Laboratório Nacional de Máxima Contenção Biológica, classificado com Nível de Biossegurança 4 (NB4), o mais alto para contenção e segurança na manipulação de micro-organismos. O projeto atende às necessidades do governo federal de prover estruturas capazes de contribuir para o enfrentamento de situações de emergência em saúde pública, como a pandemia de Covid-19.

 Justiça

 Os R$ 764.966 destinados ao Ministério da Justiça vão para indenização de representação no exterior e auxílio familiar para instituição da Missão Logística do Ministério da Justiça e Segurança Pública em Washington, nos Estados Unidos.

 O projeto de cooperação internacional, intercâmbio e representação institucional no exterior tem o objetivo de planejar e executar processos-piloto de aquisição de materiais e serviços para emprego na área de segurança pública.

 A pasta espera economizar R$ 50 milhões por ano com a compra de equipamentos e materiais de segurança não produzidos no Brasil, direto com as fabricantes.

 A equipe contará com dois representantes da Polícia Federal, dois da Polícia Rodoviária Federal e dois servidores do ministério. A missão, que deve durar até dois anos, também deve realizar estudos para criar uma comissão permanente de compras internacionais. O modelo de comissão no exterior é semelhante a processos de aquisição de produtos das Forças Armadas.

 Receitas e despesas

 O PLN 18/21 foi apresentado a partir da melhoria nas projeções de receitas e despesas primárias.

 Os recursos para o FNDCT vêm do remanejamento de despesas financeiras. Já os do Ministério da Justiça foram remanejados de outras despesas primárias obrigatórias.

 Fonte: Agência Câmara de Notícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Últimas notícias

O relator do projeto, senador Eduardo Braga (MDB-AM), disse que a aprovação das novas regras vai pacificar as divergências que existem hoje sobre preservação em áreas urbanas no Código Florestal.
Segundo o presidente da República, projeto de lei aprovado por Câmara e Senado contraria o interesse público.
Na Alesc, o PL 386/2021 será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e pela Comissão de Finanças e Tributação antes de ser votado em plenário.