- A informação que gera opinião!

PL do deputado Padre Pedro cria o Dia Catarinense da Abelha

A proposta visa a reflexão da necessidade de ações para conter o desaparecimento desse inseto tão importante.

Por Redação

3 de setembro de 2021

às 10:00

Compartilhe

 Foi aprovado nesta semana, na Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei 193/2021, de autoria do deputado Padre Pedro Baldissera (PT), que incluiu no calendário oficial do estado o Dia Catarinense da Abelha. A data será comemorada anualmente em 20 de maio.

 A proposta visa a reflexão da necessidade de ações governamentais, assim como da sociedade em geral, para conter o desaparecimento desse inseto tão importante, assim como para implementar políticas públicas comprometidas com a vida e com a saúde.

  “Já temos o Dia do Mel e do Apicultor comemorado em 22 de maio, segundo a Lei Estadual nº 4.018, de 1967. Para marcar também em maio a data do dia 20 como o Dia Catarinense da Abelha, chamamos ainda mais a atenção para a importância deste inseto para a vida, principalmente na região do sul do Brasil, onde existe uma variedade muito grande de espécies e uma diversificada tipologia climática e geográfica”, justificou.

 Segundo o deputado, o projeto reforça a justificava das Nações Unidas que proclamaram, no final do ano de 2017, esta mesma data, 20 de maio, como o Dia Mundial da Abelha, contando com o patrocínio de 155 estados-membros. A justificativa da resolução da ONU é aumentar a consciência sobre a importância deste inseto e alertar sobre o número cada vez menor deles e os perigos decorrentes disso.

 Futuro das abelhas

Essenciais para a sobrevivência de florestas e para a polinização de frutas e vegetais usados na alimentação humana, as abelhas estão desaparecendo do planeta. Os alertas da ONU para os riscos de escassez de alimentos por conta da mortalidade em massa de insetos polinizadores são bastante significativos. Essa matança, em grande parte é causada pelo uso indiscriminado de agrotóxicos.

 Fonte: Assessoria Deputado Padre Pedro Baldissera

Últimas notícias

A medida valerá após o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.
A decisão foi tomada junto com os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados.
O deputado Jair Miotto é o presidente da Comissão de Ecnomia.