- A informação que gera opinião!

VÍDEO: Ao abandonar mandato, prefeito ‘parabeniza’ vereador que não aplaudiu sua saída antecipada

Na Câmara Municipal, diante de todos os vereadores, Oscar Gutz (PL) ‘agradeceu’ Marcos Pereira (MDB), único membro do legislativo que se recusou a assinar moção em homenagem ao prefeito de Pouso Redondo (SC). Gutz interrompeu cumprimento do seu segundo mandato. Afinal, gestores que renunciam ao cargo em nome de sua carreira política são traidores?

Por Redação

27 de abril de 2022

às 13:10

Compartilhe

 Uma situação inusitada provocou surpresa geral durante a 10ª Reunião Ordinária, na segunda-feira (11), na Câmara Municipal de Pouso Redondo (SC).

 Após decidir abandonar o cargo e renunciar 2 anos e 9 meses antes do fim do segundo mandato, o prefeito Oscar Gutz (PL) recebeu uma Moção de Aplausos no legislativo enaltecendo as realizações da sua curta gestão.

 Porém, um dos nove vereadores recusou-se a assinar o documento de homenagem que marca a despedida antecipada do gestor, eleito para ficar no cargo até o fim de 2024.

 Insinuando que o parlamentar municipal possa ter ficado com alguma “mágoa” por ele ter “punido” durante a breve passagem pelo executivo “quem não fez certo”, Gutz deu os “parabéns” também a Marcos Pereira (MDB), presente na sessão. 

 O nome do desafeto do gestor foi citado ao microfone, com voz firme e forte, depois que o prefeito parabenizou “a população toda” e agradeceu os outros 8 vereadores que foram favoráveis à Moção de Aplausos.  VEJA!

 “Um grande abraço a todos. Deus que abençoe!”

 Apesar de ser eleito para cumprir os quatro anos do mandato como prefeito de Pouso Redondo, Oscar Gutz ficou no cargo apenas 1 ano e 3 meses. Ele abandonou a função em 31 de março, pouco antes de receber a homenagem na Câmara de Vereadores.

Procurado pela reportagem, vereador Marcos Pereira não quis comentar o caso. (Foto: Redes Sociais) 

 Enquanto o vice-prefeito Rafael Neitzke Tambozi (UNIÃO) assume o executivo, Gutz renunciou para disputar uma vaga de deputado na Assembleia Legislativa nas eleições de outubro deste ano, conforme ele mesmo chegou a dizer recentemente durante uma live no canal oficial da prefeitura na internet, incorrendo numa conduta proibida.

 Por outro lado, deixar um cargo para disputar uma nova função política é permitido. Aliás, a atitude já se tornou comum em todo o país em ano eleitoral.

 No entanto, políticos que rompem o voto de confiança dado pelos seus eleitores para correr atrás de uma oportunidade que julgam melhor para si, em geral, deixam a impressão que usaram a cadeira para a qual foram eleitos apenas como uma espécie de escada política. Ou seja, cheira a traição.

 Você concorda com tal atitude? Um político eleito deveria honrar a confiança do voto recebido e sempre concluir seu mandato? A saída antecipada é justificada? Na política “vale tudo” e o povo que se vire?

 Comente! Sua opinião é muito importante. O portal Alto Vale Agora agradece!

 Foto de Capa: Captura de Tela/Arte: Alto Vale Agora

(Moção de Aplausos: Nº 10/2022, de 11/04/2022 – Câmara Municipal de Pouso Redondo, SC.)

VÍDEOS: Em live, prefeito incorre em conduta proibida, lava as mãos sobre falha grave da sua gestão e ‘queima o filme’

Sem dó, prefeitura gastará quase meio milhão de reais com show de Chitãozinho e Xororó, e vereadores a Brasília fazem mais dinheiro virar pó

Últimas notícias

Eder Ceola pede “instauração de Inquérito Civil Administrativo” contra Rozi Terezinha de Souza para apurar pagamentos totais de R$ 1,2 milhão a médico credenciado pela prefeitura.
Campeã da gastança na atual legislatura, vereadora “Solange dos Doces” (PP) já vampirou, sozinha, R$ 71 mil dos cofres públicos; mas comilança de dinheiro dos contribuintes já infectou todo o legislativo municipal, maior devorador de recursos entre todas as Câmaras do Alto Vale.
Enquanto aponta o dedo para falha dos outros, José Thomé esqueceu de fazer suas próprias lições de casa em Rio do Sul (SC). Adivinha quem paga pelo descaso e pelas lambanças dos políticos na última cheia...